Mindfulness em psiquiatria – os benefícios da atenção plena na saúde mental

O Mindfulness é um aspeto central da tradição e psicologia Budistas com cerca de 2500 anos de história. A palavra “Mindfulness” tal como é usada nos textos antigos, é uma tradução para o Inglês da palavra em Pali sati que significa Consciência, Atenção e Recordação. A “Consciência” implica tornar-se consciente de tudo o que ocorre dentro e fora de nós, redirecionando a “Atenção” para os pensamentos e emoções em vez de tentar suprimi-los. Já o conceito de “Recordação” significa recordar-se de estar consciente e de prestar atenção. A cada momento devemos relembrar-nos de estarmos atentos.

Jon Kabat-Zinn, principal responsável pela integração do Mindfulness na Medicina ocidental, define-o como prestar atenção de uma forma especial – propositadamente, no Momento Presente e sem julgamento.

As abordagens baseadas no Mindfulness colocam ênfase na importância dos recursos pessoais e na capacidade de um indivíduo restituir, a si mesmo, o equilíbrio, passando de um estado de stress e desequilíbrio para outro de grande harmonia e serenidade.

A ruminação é um dos processos cognitivos que mais contribui para a perpetuação de um estado negativo e, por conseguinte, da doença mental. A ruminação envolve sempre um julgamento sobre uma experiência. Neste âmbito, existe pois uma sobre-identificação com o conteúdo do pensamento, o que leva a que o sujeito se perca em extensas considerações e julgamentos sobre as suas ações. Este padrão, tão típico na sociedade ocidental, provoca o adoecer do corpo e da mente através de um ciclo vicioso em que os pensamentos ruminativos se alimentam a eles próprios.

Os programas de Mindfulness possibilitam uma diminuição notória do processo ruminativo através da desidentificação. Quando compreendemos que não somos os nossos pensamentos, encontramos a libertação através da transformação da nossa forma de pensar e sentir.

São vários os programas terapêuticos que utilizam o Mindfulness como ferramenta. Dentro destes podemos salientar o programa MBSR (Redução de Stress Baseado no Mindfulness) muito útil nas Perturbações da Ansiedade, o MCBT (Terapia Cognitiva Baseada no Mindfulness) que se mostrou eficaz na redução da recidiva da Perturbação Depressiva Major, a Terapia Dialética-Comportamental que revelou eficácia na diminuição da ideação suicida e comportamentos impulsivos e autolesivos nas pessoas com Perturbação da Personalidade Borderline e a Terapia de Aceitação e Compromisso na qual os sujeitos aprendem a reconhecer os seus pensamentos, emoções e sensações corporais vendo-as como separadas deles mesmos.

Têm sido muitos os estudos científicos que demonstram os benefícios do Mindfulness. Enquanto terapia, é reconhecido pelo National Institute for Health and Care Excellence (NICE) como sendo altamente eficaz para aprender a gerir o stress físico e psicológico.

O Mindfulness é um convite para nos relacionarmos com a vida de forma diferente, de a experienciarmos momento a momento, a par de qualquer vivência. O objetivo central é abrirmo-nos à totalidade e riqueza de cada fragmento, sem tentar modificar os componentes dessa experiência.

Os praticantes de Mindfulness parecem possuir uma maior flexibilidade comportamental em situações previamente associadas a rigidez mal-adaptativa como o evitamento fóbico de determinadas experiências.

A verdadeira intenção desta prática alicerça-se no crescimento pessoal e na busca do sentido e da validação da vida apesar de qualquer diagnóstico ou patologia.

João Perestrelo

Psiquiatra e Psicoterapeuta

mim – Clínica do Desenvolvimento