As férias estão a chegar ao fim

Depois de um verão divertido e sem horários, e de muitos dias passados ao ar livre, chegou finalmente a hora de preparar os livros e regressar à escola.

Como poderá a criança olhar com tranquilidade para o regresso à escola se já ouviu a mãe ou o pai falarem da ansiedade que lhes causa esta nova etapa (os TPC infindáveis, as queixas dos professores, as notas…)? Ao ouvir e interiorizar este relato a criança desenvolve a ideia de que a entrada na escola será marcada por múltiplos obstáculos. Portanto, mais do que falar sobre os seus receios, os pais devem mudar o discurso e falar do regresso à escola como algo muito positivo… afinal de contas será um reencontrar de velhos amigos, um retomar às divertidas atividades extracurriculares, um estrear de materiais novos, etc.

De forma a facilitar esta transição, é fundamental que se adote algumas atitudes prévias ao regresso à escola. Em primeiro lugar é muito importante retomar a rotina do sono. O regresso às aulas implica um horário

para deitar e levantar menos flexível do que o das férias. Para facilitar esta readaptação, cerca de 1 a 2 semanas antes do início das aulas implemente o horário de deitar e levantar que a criança normalmente pratica durante o período escolar. Deste modo, quando o despertador tocar no primeiro dia de aulas, não será tão difícil sair da cama.

As compras escolares costumam ser também uma dor de cabeça para os pais, no entanto esta pode ser uma boa forma de animar a criança com a proximidade do primeiro dia de aulas. Fazer um inventário (em casa!) daquilo que a criança tem e do que precisa, convidando-a a ir às compras consigo e deixando-a escolher um ou dois artigos do seu agrado (limitando sempre o valor de cada artigo), poderá ser um bom estímulo para a criança.

Do mesmo modo, a preparação do espaço de estudo, com o material escolar comprado, é fundamental. Esse deve ser o local eleito para guardar tudo aquilo que estiver relacionado com a escola, desde a mochila e

cadernos, aos documentos e livros escolares, assim como para estudar e fazer os TPC. Como tal, o local escolhido deve ser calmo, silencioso e livre de estímulos distratores (televisão, computador, jogos, etc.).

Uma visita à escola e um encontro com os antigos colegas poderão facilitar a consciencialização que o fim das férias está próximo e que o início das aulas já espreita. Não espere pelo primeiro dia de aulas para regressar à escola com a criança. As férias de verão são muito tempo sem contacto com a escola, por isso, visite a escola com a criança antes do início do ano letivo. Pode passar pela escola e ir brincar para o seu parque ou espaço de recreio. É bom que a criança se volte a familiarizar com o espaço escolar e contacte novamente com os colegas antes do primeiro dia de aulas. Agende um encontro de amigos com o seu filho!

O regresso às aulas significa, para muitas pessoas, o reajustar da rotina familiar já esquecida. Para evitar noites e manhãs caóticas, estabeleça uma rotina e discuta-a com a criança. Defina o que a criança deve fazer quando se levanta, como vai para a escola, onde vai almoçar, quem a vai buscar, o que deve fazer quando chegar a casa (fazer os trabalhos de casa, brincar, jantar, …) e o

que deve fazer antes de dormir (preparar a mochila, escolher a roupa para o dia seguinte…). Mostre ao seu filho que há tempo para tudo, desde que exista organização. Pode fazer em conjunto com ele um plano diário, que deve afixar num local visível. Este plano deverá incluir o horário das aulas, o tempo destinado ao ATL ou às explicações, as atividades desportivas, a realização dos TPC, e o tempo de televisão, de jogos e de outras atividades de lazer.

Esta é também a altura em que muitos pais têm que definir as atividades extracurriculares da criança. No entanto, é comum encontrarmos criança com agendas de adultos e quase sem tempo para descansar e brincar. É verdade que o desporto é fundamental, mas será que é assim tão importante manter a criança na natação, no judo e no futebol? Será que vale a pena manter o ATL, as explicações e as atividades da matemática? Faça uma escolha cuidadosa com o seu filho e lembre-se que as crianças precisam de tempo livre para darem aso à sua imaginação… para brincarem e serem crianças!

Paulo R. C. Coelho

Psicólogo da Infância e Adolescência

Diretor Técnico da “mim – Clínica do Desenvolvimento”